quarta-feira, janeiro 18, 2006

Pequeno Questionário sobre o Grande Irão


Parece que em Portugal anda muita gente preocupada (seguindo como de costume as modas ideológicas internacionais recentes) com um Irão nuclear. Até o geralmente calmo e céptico Vasco Pulido Valente. Segue-se um pequeno questionário impróprio para almas sensíveis.

Quantas vezes o Irão invadiu um país vizinho nos últimos 250 anos? Zero

Quantas vezes o Irão promoveu um golpe de estado na Europa ou nos EUA nos últimos sessenta anos? Zero

Quantas vezes a Grã-Bretanha e os EUA ocuparam militaramente o Irão nos últimos sessenta anos? Uma

Quantas vezes a Grã-Bretanha e os EUA apoiaram com sucesso golpes de Estado no Irão nos últimos sessenta anos? Duas

Quantas vezes um Estado nuclear usou as milhares de bombas atómicas em existência? Duas (Os EUA utilizou duas contra o Japão em 1945, coincidentemente numa altura em que não havia mais)

Quantas vezes o mais conhecido especialista de Relações Internacionais vivo (Ken Waltz) escreveu a explicar que a proliferação nuclear ao nível de Estados até é uma coisa boa para a paz? Duas pelo menos (veja-se aqui e aqui)

Quantos aliados próximos dos EUA têm um arsenal nuclear? Três (Paquistão; Índia e Israel).

Qual a probabilidade de os EUA invadirem o Irão para encontrarem - desta vez a sério - armas de destruição em massa? Nula

Portanto, menos alarmismos e menos moralismo, sff.

PS – Antes que me acusem de plágio, o título deste poste encerra um pequena homenagem a um livro recente. Sobre ele e sobre o Irão mais se escreverá no futuro, talvez.

3 Comments:

Blogger Luís Aguiar Santos disse...

Bem visto.

12:36 da tarde  
Blogger Marco disse...

Seguindo a lógica do Ken Waltz, talvez seja melhor oferecer bombas atómicas ao Uganda, ao Congo e ao Ruanda.

9:23 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Fraco, muitas coisas irrelevantes e comparações sem sentido.

Primeiro um erro. O Irão dos Ayatollahs promoveu um golpe de estado no Irão...

Segundo o Irão assassinou opositores por toda a Europa.

Terceiro o Irão rebentou com o Centro Judaico em Buenos Aires.

Quarto o Irão apoia e intervem na politica Libanesa de facto controlando o Sul do Líbano

Quinto a Revolução Islâmica perdeu muita energia e vidas humanas com o ataque de Saddam. Por muito que nos repugne Saddam foi util, tal como na História muitos carniceiros antes dele.

Chirac achou por bem falar na semana passada na sequência do colapso da Troika, foi uma moda?

E o que disse foi grave: Aceitamos a bomba Iraniana, mas um ataque terrorista de envergadura ou instabilidade no sistema de energia internacional e o Irão pode ser transformado em cinzas.




lucklucky

9:08 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home