sexta-feira, março 14, 2008

Menezes não chega

Em entrevista à RTP, frente a Judite de Sousa, Luís Filipe Menezes mostrou-se mais consistente do que seria de esperar em relação à oposição interna do seu partido. Quanto às questões de política nacional, recorreu à táctica do toca e foge. E não tocou na questão mais controversa do momento, a da avaliação dos professores. Mostrou que tinha as sondagens na ponta da língua e as soluções para o país debaixo da língua. Convenceu os que já estavam convencidos. Manifestamente, não chega.

Etiquetas: ,

5 Comments:

Blogger CLeone disse...

Ontem, no Abrupto, um bom post sobre as setas e as cores do PSD.
Abraço

11:49 da manhã  
Blogger João Miguel Almeida disse...

Já vi o post de Pacheco Pereira. É um bom texto. Menezes não percebe o risco de mudar a imagem de marca do partido num momento em que muitos consideram que a sua substância está a mudar num sentido populista. Seria «uma nova forma para um novo conteúdo». O populismo sempre existiu no PSD, mas com Santana Lopes tornou-se dominante e a sua saída da direcção do partido não significou um «regresso à normalidade». Pelo contrário, parece que o populismo é que está para ficar e durar no PSD. O que é mau para todos, pois trata-se do segundo maior partido português e do maior partido da oposição.

2:19 da tarde  
Blogger João Miguel Almeida disse...

Carlos Leone é sempre bem-vindo no nosso blogue.
Abraço

2:21 da tarde  
Anonymous Arnaldo Matos disse...

Viva o deputado do PS renato sampaio que quer proibir os piercings na lingua! Temos um novo pai do povo! Viva O Ps!

12:06 da manhã  
Blogger CLeone disse...

Obrigado João, acabo de corresponder ao vosso convite, para mim uma agradável surpresa (bem nacessária, aliás...)
Abraço

4:11 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home