terça-feira, setembro 19, 2006

Sol, 2 - Mais E/Ou Menos

Tiramo-lo do saco de plástico (pois...), folheamo-lho, e a impressão geral é a de excessiva familiaridade: a cor e estrutura do caderno politico-económico; o formato e estrutura do suplemento de lazer, o lustro do papel e estrutura da revista. Já a diferenciação pelo tamanho da letra e a demarcação entre as várias secções, representam alguma inovação e funcionam bem.
Passando ao que realmente conta, devo dizer que depois de lidas, as noventa e seis páginas do caderno principal sabem a pouco: muita publicidade, imagens enormes (na secção de sinistralidade, por exemplo, não caberia o dobro do texto e metade da ilustração?); mais páginas dedicadas a Desporto e Televisão que ao cômputo de Cinema, Literatura, Artes Visuais e Música. Os cronistas são conhecidos, a sua opinião interessa a muita gente e - sobretudo no caso de Marcelo Rebelo de Sousa (não percebi aquilo do diário diferido chamado Blogue) - têm algum espaço para se espraiar. Contudo, e tendo em conta que falamos de um semanário, os demais artigos não têm caracteres para fôlego fundo: é paradigmática a p.28, dedicada a questões sobre a Educação, que deixa quem lê com vontade de... ler o Público ou o DN para saber mais sobre o assunto.
Para bem do recém-nascido título, espero que esta tendência para a posticização da informação seja revista.

2 Comments:

Anonymous mostrengo Adamastor disse...

Que estória é essa de parar o Quatro Caminhos?!

3:03 da tarde  
Blogger Ana Cláudia Vicente disse...

Por agora tem de ser, adamastor. Mas vou passando por aqui :)

6:53 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home