quarta-feira, maio 23, 2007

Um bocado estranho.

Por trás da notícia que nos fala do caso de um professor suspenso pela diligentíssima directora-geral do ensino do norte vejo umas quantas coisas. Vejo a medida punitivo-preventiva e a delação em que a dita medida se fundamentou. Vejo uma delação consumada por escrito e redigida por um colega de gabinete que terá achado fora da lei uns presumíveis comentários jocosos que o dito professor terá produzido sobre essa altíssima figura nacional que é o primeiro-ministro José Sócrates. Mas na notícia eu vejo, sobretudo, o facto de ainda haver na legislação portuguesa a possibilidade real de se perseguirem cidadãos – neste caso funcionários públicos – por delito de opinião. Estranho e preocupante, não é?

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger Zé Ninguém disse...

Dinheiro Fácil

http://absolutamenteninguem.blogspot.com/2007/05/taeg-no-sei-o-que.html

12:24 da manhã  
Blogger Ana Cláudia Vicente disse...

É, sim. Como preocupante e inenarrável foi atitude da Governadora-Civil de Lisboa. Acho que nada mais me provoca calafrios que provarmos ser um povo que não sabe liderar, quanto mais obedecer.

Beijinhos, Fernando,
acv

12:29 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Não sei qual o teor dos insultos ao primeiro-ministro, e obviamente que não se deve perseguir cidadãos por exprimirem a sua opinião, mas é bom que esses mesmos cidadãos saibam reconhecer que "o Socrátes" é, realmente, uma altíssima figura nacional, e por isso mesmo merece algum respeito.

Filipa Brigola

12:04 da tarde  
Blogger Fernando Martins disse...

Filipa! "Altíssima figura nacional"? Não me venham com essa de que o respeitinho é muito bonito! Por mais respeito que as pessoas, e um primeiro ministro, mereçam! Mas por outro lado, convenhamos que o José Sócrates, enquanto primeiro ministro, dá-se muito pouco ao respeito e merece muito o meu respeito.

8:06 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home