quinta-feira, abril 05, 2007

Aspas

O Daniel Oliveira dedicou-me um curto texto no Arrastão pelo simples facto de eu me referir ao Rui Tavares com aspas para o “historiador”. Como supõe que eu não concedo ao Rui Tavares o título ou o exercício do ofício de historiador, o Daniel Oliveira pespegou ainda com uma lista detalhada da obra publicada ou editada pelo seu amigo Rui Tavares. Acho que fez bem. Não há nada mais bonito do que provas de amizade como esta. No entanto, e a não ser por causa da demonstração estrénua daquilo que é uma bela amizade, o Daniel Oliveira podia ter ficado quieto. É que eu, ao colocar entre aspas o Rui Tavares “historiador”, apenas o faço porque cito a forma como este, o Rui Tavares (que felizmente também é muitas outras coisas, além de uma grande cabeça), se identifica perante os leitores do Público. Não questiono o facto do Rui Tavares ser “historiador”, até porque, e por manifesta falta de interesse da minha parte, não conheço a sua obra. É claro que podia insinuar que a indignação do Daniel Oliveira, além de genuína, é também encomendada e o sinal claro de que alguém anda a enfiar o barrete das aspas. Mas não, não ouso insinuar!
Uma nota final para dizer ao Daniel Oliveira que ninguém sabe quem eu sou porque simplesmente eu não existo. É só perguntar ao Bruno Cardoso Reis e a outros que não só julgam conhecer-me como acreditam que eu existo.

2 Comments:

Blogger Daniel Oliveira disse...

Devo recordar-lhe que chamou estúpido ao Rui Tavares e disse que vomitava ao ler um texto seu. Compreendo e acho até saudável que se esqueça das barbaridades que escreve. Mas não vale a pena dourar a pílula.

Não aceito encomendas de ninguém, nem de amigos. Nem o Rui tem por hábito fazer encomendas que ele próprio pode aviar.

As aspas queriam dizer o que queriam dizer. Tentar dar à volta ao texto diz apenas que não tem coluna para aguentar o peso da sua deselegância.

6:16 da tarde  
Blogger Fernando Martins disse...

O Daniel Oliveira gosta muito de julgar os outros. Vale a pena recordar que quando se cospe para o ar o cuspo acaba sempre por cair em cima. Repito que considero uma estupidez aquilo que o Rui Tavares escreveu, o que é diferente de dizer que o homem é estúpido. Normalmente evito pronunciar-me sobre o carácter das pessoas. Aliás, e sobre o essencial, o Daniel não diz nada. A violência e o racismo (ou a xenofobia) são monopólio da direita? Em Portugal, depois do 25 de Abril, a esquerda não tem usado e abusado da violência física e verbal? Valha-me nossa senhora! Para me convenceres da inteligência e da bondade dos teus argumentos - como dos utilizados pelo Rui Tavares - é preciso mais, muito mais. Aliás, e em matéria violência, porque não criticar muitas das acções e das ideias do Bloco de Esquerda e de grupos que lhe estão associados, como a ATTAC, ou lá como é que se chama essa associação de bem feitores, ou os grupelhos revolucionários internacionais de acção directa com que os quais o Bloco mantém bons contactos?
Quanto àquilo que é um historiador devo dizer-te, meu caro Daniel, que sei bem melhor quem o é ou não é!

12:12 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home