segunda-feira, janeiro 15, 2007

Os Dez Grandes Portugueses

O “concurso” da RTP intitulado – se bem me lembro – Os Grandes Portugueses, parece-me mais importante do que aquilo que às vezes se admite e independentemente dos resultados desta primeira fase que empurram para a final a 10 apenas quatro personalidades do século XX: Aristides de Sousa Mendes, Fernando Pessoa, Álvaro Cunhal e Oliveira Salazar (mas três deles nascidos no século XIX). Por um lado, o concurso permite ver de que forma uma pequena parte da sociedade (e da vida política) portuguesa se organiza para votar. Por outro, e naturalmente, o concurso é importante por causa das escolhas: as personagens mediáticas, e como era de esperar, dão cartas, ao mesmo tempo que se vê de que forma os mitos nacionalistas da história pátria, nascidos em finais do século XIX, preservados e acarinhados pelos republicanos e pelo salazarismo, mas combatidos sem dó nem piedade pelo marxismo, pelo estruturalismo e pelo pós-modernismo, sobrevivem. De Vasco da Gama a D. João II, passando pelos inevitáveis marquês de Pombal, Camões, infante D. Henrique e Afonso Henriques.
Mas o melhor está para vir. Os dez finalistas serão defendidos na RTP por gente que, espero muito sinceramente, esteja à altura do desafio. Consta que Jaime Nogueira Pinto irá argumentar a favor de Oliveira Salazar. Jaime Nogueira Pinto é um dos intelectuais portugueses mais interessantes e originais dos últimos trinta anos, mas com o qual é difícil estar de acordo e que tem má imagem – penso eu – junto de muitos telespectadores. Ainda assim, se os restantes 9 grandes portugueses tiverem a seu favor gente tão “consistente” como Jaime Nogueira Pinto, não duvido que teremos amanhã um interessante serão televisivo. Veremos!

3 Comments:

Anonymous Marco Oliveira disse...

Dizer que o Salazar ou o Cunhal estão entre os "maiores portugueses" é coisa que não me faz sentido.
Mas se disserem que eles estão entre as figuras mais marcantes do sec.XX português, então estou de acordo.

7:08 da tarde  
Blogger tiago m disse...

excelente comentário. também me parece que o programa revela mais do que se tem dito; que é vísivel que o voto organizado é muito importante (e as pequenas minorias são a única maneira de mudas as coisas como diz a esquerda americana) e que os grandes mitos portugueses são quem sobreviveu nesta votação.

gostei da foto para ilustrar os 100 portugueses. é um exemplo de um português do século XXI e desses não está lá nenhum

8:12 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Bom, vieram nos jornais as personalidades que ficaram nos 10 mais em Inglaterra, em França, na Alemanha (pelo menos, que me recorde de momento) e afinal chega-se à conclusão de que por cá a coisa não correu tão mal assim...

4:14 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home