segunda-feira, março 27, 2006

Consolo


Foi o que senti ao ouvir Pacheco Pereira a dizer, na TSF, que não se tinha sentido nada ofendido por o Vilhena o ter caricaturado como «Deus Pai», na Gaiola Aberta. Eis o estudo de caso que faltou a José Gil fazer nas suas reflexões sobre o «Medo de Existir» dos portugueses.

5 Comments:

Anonymous Anónimo disse...

José Gil e não Fernando Gil

5:23 da manhã  
Blogger Ângulo Saxofónico disse...

Foi, de facto, o José e não o Fernando. O Fernando sempre trabalhou com um rigor filosófico impressionante. O José também, mas só às vezes - quando escreveu sobre a dança, por exemplo.

6:00 da manhã  
Blogger João Miguel Almeida disse...

Vou corrigir

9:30 da manhã  
Blogger João Miguel Almeida disse...

Agradeço a correcção. A confusão é fácil, pois o apelido é o mesmo, nasceram com dois anos de diferença e ambos têm obra publicada en Filosofia.

10:08 da manhã  
Blogger João Pedro disse...

Além de serem (ou terem sido) irmãos, claro.

4:20 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home