quarta-feira, setembro 19, 2007

Ron Paul no Value Voters Debate (ontem)

O Dr Ron Paul explicou mais uma vez porque é o melhor candidato presidencial norte-americano.

5 Comments:

Blogger JSA disse...

Não posso agora ouvir as posições de Ron Paul (o computador onde estou não tem placa de som). Ainda assim, após ler as posições dele na wikipedia, apenas posso converncer-me que Ron Paul é um desastre para qualquer país. Essencialmente porque ele vê o país, pelo que me parece, necessário apenas e só para que haja um exército. Posições como a retirada da NATO, ONU, a extinção do IRS, da Reserva Federal, da CIA, FBI, FEMA, NASA, etc até metem dó. Essencialmente, e à excepção do exército, Ron Paul é um anarquista. As pessoas que façam o que lhes apetecer que o mercado trata do resto. Seria bonito, seria.

Ron Paul prova que seria dos piores candidatos, isso sim.

12:03 da tarde  
Blogger Luís Aguiar Santos disse...

"O mercado" e "as pessoas" são expressões sinónimas e isso é o fulcro da mensagem de Ron Paul. Se acha que o mundo acaba por se extinguirem as agências governamentais que referiu, isso é uma crença sua, mas que tem consequências. Há uns séculos, quem advogasse a extinção da Inquisição ouviria opiniões parecidas com a sua. Leia, por exemplo, um bocadinho do nosso Alexandre Herculano para perceber Ron Paul.

2:41 da tarde  
Blogger João disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

4:04 da tarde  
Blogger JSA disse...

Muito bem, leia "cada um" no lugar de "as pessoas". Mas, se bem compreendo (admito que não, mas isso é outro assunto) o conceito do mercado como os liberais o interpretam, "mercado" é a consequência da soma das acções individuais das pessoas. Por isso a distinção no comentário. Ainda assim, a correcção anterior talvez mude um pouco o texto e se aproxime do que eu queria dizer.

Não critico (ou até posso criticar, mas não é disso que quero falar agora) que Ron Paul queira extinguir um FBI ou uma NASA. Apenas que as queira extinguir todas. Note que a Inquisição não era exactamente estatal. Além disso, por essa lógica, poderíamos extinguir o estado em si mesmo (qualquer um) e toda e qualquer instituição que não haveria qualquer problema. Afinal de contas, quem ache que isso seria um desastre seria visto apenas como um profeta da desgraça, precisamente aquilo que me parece considerar.

4:05 da tarde  
Blogger Luís Aguiar Santos disse...

A Inquisição não era estatal? Então era o quê? Da sociedade civil? Ou estará a pensar na Igreja? Mas a Igreja portuguesa no início do século XVI era, ela própria, muito estatal, contrariamente ao que Roma teria querido. E a Inquisição foi uma conquista do Estado à Igreja, que a concedeu.

Quanto a Ron Paul, não é anarquista, é minarquista, como são todos os liberais clássicos (como era Alexandre Herculano). Ron Paul fala da Constituição dos Estados Unidos, não da FAI. Acho muita piada que sempre que os liberais falam em fazer recuar as fronteiras do Estado, começam logo a falar em anarquia. É isto que se chama pôr o Estado, não no lugar de Deus, mas, realmente da Inquisição, que preenchia bem o paradigma de sociedade policiada que tem os antiliberais de esquerda e de direita.

5:43 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home