quinta-feira, setembro 20, 2007

Não vivemos em mercado livre (caso ainda não tenham percebido)

Alan Greenspan, o ex-banqueiro central norte-americano, revela no "Daily Show" uma dose considerável de honestidade intelectual: antes de mais, admite que, com o sistema monetário que temos depois do padrão-ouro, não vivemos realmente num mercado livre. Toda a economia é condicionada pela unidade monetária de papel que circula em regime de monopólio e esta é administrada por "reguladores", que tomam decisões arbitrárias impostas a todos os agentes económicos. Sobre o processo de decisão desses "reguladores", Greenspan não podia ser mais claro: não sabem - ninguém sabe - fazer previsões e aquilo que usam são os dados disponíveis a toda a gente interessada. E é curioso que, perante perguntas do senso comum como as de Jon Stewart ("porque tem de existir um banco central?"), Greenspan não tenha nada para dizer em defesa do sistema. Se não estivessemos viciados no sistema inflacionista em que vivemos - que realmente penaliza o trabalho e a poupança, como Jon intui -, o que teria sentido seria restaurar o padrão-ouro (é o que Ron Paul anda a dizer na campanha para as primárias republicanas).

4 Comments:

Anonymous Anónimo disse...

O padrão-ouro não é padrão nenhum, uma vez que o ouro é um metal que se extrai de minas na Austrália e na África do Sul. Uma coisa que se extrai de minas, com maior ou menor intensidade, minas essas situadas nalguns países mas não noutros, não pode ser um verdadeiro padrão.

Com o padrão-ouro seria a África do Sul a fabricar dinheiro, em vez de serem os EUA. E poderia fabricá-lo mais depressa ou mais devagar, consoante a sua conveniência.

Luís Lavoura

10:05 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

"unidade monetária de papel que circula em regime de monopólio"

O dólar não circula em regime de monopólio em parte nenhuma exceto no mercado petrolífero... e, mesmo aí, a onda está a mudar.

Qualquer pessoa que queira ter todas as suas poupanças denominadas em euros, pode fazê-lo.

O dólar é uma moeda que as pessoas aceitam apenas porque querem aceitá-la. Se as pessoas não quiserem comprar dólares e acumular dinheiro em dólares, não o fazem. Podem em vez disso comprar ouro, obras de arte, selos, automóveis antigos, casas, euros, ienes ou rublos.

Dizer que o dólar tem um qualquer monopólio é um disparate. Lá por os banqueiros centrais chineses e coreanos terem ordens dos seus governos para comprarem muitos dólares, não quer dizer que haja um monopólio do dólar.

Luís Lavoura

10:28 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

"porque tem de existir um banco central?"

Talvez seja porque, sem banco central, o sistema bancário cometeria maluqueiras e se meteria em trapalhadas das quais depois não saberia desenvencilhar-se sozinho, e montes de pobres depositantes ficariam a arder com o dinheiro que honestamente depositaram.

Veja por exemplo esta merda toda do subprime. Os bancos meteram-se em alhadas, e teve que vir o Bacon Central emprestar dinheiro para ver se eles podiam safar-se. Se não houvesse Banco Central, montes de gente ficaria a arder devido à imprudência de muitos investimentos e empréstimos feitos pelos bancos.

Luís Lavoura

10:33 da manhã  
Blogger Luís Aguiar Santos disse...

Ó Luís, tem de ler umas coisas sérias de teoria monetária. Pode começar por aqui.

2:39 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home