domingo, janeiro 07, 2007

“Atlético Clube de Portugal”

Já tendo ultrapassado os 40, gostando de futebol desde há bem mais de trinta, tendo nascido e vivido 39 anos em Belém, o Atlético é para mim uma equipa que, naturalmente, deveria estar na I divisão. Ainda me lembro de como, na década de 1970, eram renhidos alguns jogos na Tapadinha entre o Atlético Clube de Portugal e o Sporting, o Benfica e o Porto. Por outro lado, o Atlético sempre foi o rival do Belém na zona ocidental de Lisboa. Nós, do Belenenses, chamávamos depreciativamente aos do Atlético “carroceiros” o que dizia muita coisa mas, sobretudo, algo sobre a extracção social de muitos dos seus minguados adeptos. Gente muito humilde da zona de um bairro de Alcântara que depois da segunda guerra empobreceu e envelheceu com o processo de industrialização acelerada que conheceu, mas que desde o século XIX era zona animada, dinâmica e de grande activismo político, social e cultural. Ainda me lembro, a propósito desta rivalidade, que no ano em que pela primeira vez o Belenenses desceu à II divisão, algures na década de 1980, os “carroceiros” quase encheram o peão do Restelo para comemorarem, no último jogo do Belém na I divisão, a despromoção dos seus rivais. Também me lembro de ter tido na Escola Marquês do Pombal um colega que era ferrenho adepto do Atlético, além de jogar nos juvenis da equipa de Alcântara. Também o avô galego de uma amiga minha era do Atlético, já para não falar do Chico da muleta, que tinha um macho e uma carroça para transportar a fruta e os legumes que comerciava em várias ruas e praças de Lisboa. Era, e ainda é, caso não tenha falecido, um dos grandes amigos de infância de meu pai.
Hoje o Atlético eliminou, e bem, o milionário F. C. Porto da Taça de Portugal. Fiquei feliz. Não só porque se trata de uma justa, embora rara, vingança dos pobres sobre os ricos. É que apesar de ser adepto do Belenenses sempre gostei do Atlético – com as suas camisolas com riscas verticais amarelas, azuis e brancas – e porque o povo de Alcântara merece. Mesmo que já não siga o clube do seu bairro e o tenha trocado pelo Benfica, pelo Sporting ou pelo Porto. Gostei ainda porque se calhar vejo no triste destino do Atlético o mais que provável destino do Belenenses num futuro não muito distante. Por isso, eu hoje sou do Atlético Clube de Portugal e só não vou às 11 da noite à Tapadinha porque não gosto de grandes ajuntamentos.

2 Comments:

Anonymous Anónimo disse...

Se o Atlético, ainda por cima fora, tivesse eliminado Benfica ou Sporting eu ficava todo contente, por nada em especial.

Mas o Atlético ter eliminado o Futebol Clube do Porto nas Antas, deu-me mesmo uns breves momentos de felicidade. Ainda por cima com 5 minutos injustificados de descontos e um penalty duvidoso assinalado durante esses 5 minutos a favor FêQuêPê. Reparem que nunca digo «o Porto», digo sempre o «FCP», que só por ter à sua frente há muito plantado aquele insolente rasca me causa também há muito a maior repulsa.

12:31 da tarde  
Blogger Jaime disse...

Não vi o jogo, mas há quem diga que o Porto teve tudo para ganhar e, sabe-se lá como, não consegui sequer o empate.

Jaime
www.blog.jaimegaspar.com

1:53 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home