segunda-feira, janeiro 01, 2007

A "superioridade moral" de Saddam Hussein

Depois de ter lido que a “superioridade moral do Ocidente” passara a andar pelas ruas amargura pelo facto de Saddam Hussein ter sido julgado e executado, já para não falar em inúmeros outros textos que falam do antigo ditador iraquiano ora como “vítima” ora como “mártir”, só falta elegê-lo, em concurso televisivo, ou não, como o “grande iraquiano” da história. Desde que, claro está, as outras "vítimas" (as verdadeiras?) não tenham voto na matéria. Mas cheira-me que não votariam. Porque será? Por estarem mortas? Não. Por causa da superioridade moral de Saddam Hussein!

14 Comments:

Anonymous Nuno Ramos de Almeida disse...

A foto está mal escolhida. Esta imagem não reporta o massacre dos xiitas por Saddam,mas o massacre dos Curdos comunistas por guardas da revolução xiitas iranianos.

2:41 da tarde  
Anonymous LA-C disse...

"já para não falar em inúmeros outros textos que falam do antigo ditador iraquiano ora como “vítima” ora como “mártir” "

A que textos se esta' a referir. Importa-se de apontar algum link para alguem, com um minimo de credibilidade (evidentemente), que tenha defendido que o Saddam era um martir, ou uma vitima?

4:32 da tarde  
Blogger Fernando Martins disse...

Agradeço a correcção sobre o verdadeiro “objecto” da foto, embora no “google image” a imagem em causa identificasse vítimas produzidas pelo regime de Saddam Hussein. Quanto ao segundo comentador devo dizer que, de facto, me apanhou na curva. Em primeiro lugar por que Saddam não tem sido apresentado em lugar algum – neste país ou no mundo – como “vítima” ou “mártir” e porque, claro está, quem deliberadamente se engana na escolha da foto que ilustra o seu post só deve andar aqui a atirar areia para os olhos dos “outros”. Pena é que eu me tenha esquecido que os “outros” são muitíssimo espertos.

5:44 da tarde  
Anonymous LA-C disse...

"Quanto ao segundo comentador devo dizer que, de facto, me apanhou na curva."

Como? Limitei-me a pedir alguns links para perceber a que se referia, e a resposta que me da' e' "que os “outros” são muitíssimo esperto"?!?

8:08 da manhã  
Blogger MP-S disse...

A ideia subjacente 'a escolha da fotografia e ao post e': olho por olho, dente por dente. Como tal, nao necessita de substanciacao.

Na minha opiniao, comete - no minimo - dois erros:

1) aceitar a pena de morte;

2) assumir que estas questoes de massacres e gemocidios de Estado podem ser explicados e expiados por um individuo e pelo Mal que ele encarna pessoalmente.

Passa tambem o por cima do facto de Saddam ter sido executado sem que o seu julgamento tenha chegado ao fim. Foi condenado por um massacre cometido em 1982, mas nao foi julgado pelo genocidio dos curdos, nem pelos outros crimes que cometeu. Por fim, claro esta', nao foram apuradas as responsabilidades dos muitos cumplices (individuos, organizacoes privadas, Estados) que teve ao longo das decadas.

9:34 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

A tese do Fernando Martins é a seguinte: "Ai estão falar mal do Ocidente, é? O Saddam era muito mais mau! E agora, heim, heim?"

E o la-c evitava de armar-se em esperto a pedir links para textos que não existem. Pra mim vens de carrinho!

caramelo

3:05 da tarde  
Blogger Fernando Martins disse...

Aceito a pena de morte apenas no caso de julgamento de chefes políticos e militares responsáveis por crimes, por exemplo, como aqueles cometidos na Alemanha de Hitler ou no Iraque de Saddam (podia dar outros exemplos como Pinochet, Mao, Pol-Pot, Estaline, Lenine, Franco, etc., etc.).
Não estou aqui na qualidade de historiador por isso, e como não tenho todo o tempo do mundo para escrever os meus textos aqui para o amigo do povo, nem sempre ponho links para justificar aquilo que digo. Quem quiser acreditar acredita, quem não quiser acreditar também está à vontade. Mas um dos comentadores do meu post facilitou-me a vida ao escrever, por exemplo, que "assumir que estas questões de massacres e genocídios de Estado podem ser explicados e expiados por um indivíduo e pelo Mal que ele encarna pessoalmente" ou ainda "Passa também por cima do facto de Saddam ter sido executado sem que o seu julgamento tenha chegado ao fim. Foi condenado por um massacre cometido em 1982, mas não foi julgado pelo genocídio dos curdos, nem pelos outros crimes que cometeu. Por fim, claro esta', não foram apuradas as responsabilidades dos muitos cúmplices (indivíduos, organizações privadas, Estados) que teve ao longo das décadas."
Se isto não é ver Saddam como uma vítima não sei o que é. Imagine-se, aliás, o que seria julgar Saddam por todos os crimes antes de, eventualmente, o executar. Só sairíamos daqui quando o meu filho chegasse à "meia-idade". Tal faria todo o sentido se se estivesse apenas perante um problema de justiça. Ora nestes casos o que conta é a POLÍTICA. Quanto ao "Mártir" é só ler declarações de líderes sunitas e a reacção da rua sunita a propósito da condenação e execução de Saddam Hussein. Nada mais tenho a acrescentar mas estou sempre disposto a reconhecer a superioridade moral daqueles que me criticam. Passem muito bem! Sinceramente!

3:39 da tarde  
Blogger MP-S disse...

Sou contra a pena de morte por principio - seja Saddam ou Pinochet ou Hitler.

Devo dizer que nao estou a ver o Saddam como vitima. Por favor!... O que eu sugiro pelas minhas palavras e', evitando julgar os crimes de Saddam na sua globalidade, se esta' a branquear aspectos menos lisongeiros para o Ocidente nesta historia. Quando digo julgar na sua globabillidade nao implica, obviamente, incluir todas as infraccoes do transito... E' possivel fazer um julgamento em tempo util como atestam os tribumais de Nuremberga. (de qq. modo, qual era a pressa? nao se pode esperar mais um ano ou dois para ouvir a sentenca por todos os crimes contra a Humanidade?)

Se os crimes de Pinochet justificam, na optica do Fernando, a sua condenacao 'a morte... como e' que deceriamos entao julgar as responsabilidades daqueles politicos que apoiaram activamente o golpe de Estado de 1973 na plena consciencia das perseguicoes politicas, assassinios e tortura que este envolvia?

4:01 da tarde  
Blogger MP-S disse...

"deceriamos" poderiamos, e outras gralhas...

4:02 da tarde  
Blogger MP-S disse...

So' para ser mais claro: ao nao esclarecer todas as responsabilidades dos cumplices de Saddam, nao estamos a fazer de Saddam uma vitima ou um bode expiatorio. Ele foi obviamente culpado de muitissimos crimes contra a Humanidade e foi, sem duvida, um dos maiores criminosos das ultimas decadas.

Acontece que estamos a ser muito pouco rigorosos e muito pouco inteligentes se pensarmos que Saddam fez todas as malandragens isolado e sem fortes apoios e incentivos internos e externos. E isso seria tambem muito importante de elucidar. Senao, continuamos na mesma e a nao aprender com os nossos erros.

4:16 da tarde  
Blogger MP-S disse...

Um bom texto sobre a execucao de Saddam em:

http://quaseemportugues.blogspot.com/2007/01/crime-e-castigo.html

4:19 da tarde  
Blogger MP-S disse...

Este tambem e' pertinente para a questao:

http://almocrevedaspetas.blogspot.com/2006_12_01_almocrevedaspetas_archive.html#116754057530619702

12:31 da tarde  
Anonymous Nuno Ramos de Almeida disse...

Caro Fernando Martins,
A foto ganhou o Prémio Pulitzer em 1980. Só este ano se revelou o nome do fotografo (Jahangir Razmi) que manteve o anonimato com medo de represálias.
A imagem data de 1979 e é um fuzilamento de curdos por guardas da revolução iranianos.

9:09 da tarde  
Blogger Fernando Martins disse...

Caro Nuno,
Agradeço mais esta informação e louvo-lhe os conhecimentos vasto nesta e noutras áreas.

12:23 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home