sábado, dezembro 09, 2006

O roto ao nu.


Morais Sarmento, braço direito de Barroso e de Santana Lopes em dois governos de direita de péssima memória, deu entrevista à TSF e ao Diário de Notícias. Para além de confessar que gostava de ser “líder” e que apreciaria “escrever um livro”, atirou lama para cima de Marques Mendes. Acha, certamente, que fica bem e que lhe faz ainda melhor – do ponto de vista político, quero eu dizer. Acusa explicitamente Marques Mendes de não ter nem “carisma” nem uma “causa”. E Morais Sarmento alguma vez teve, tem ou terá? A não ser claro está, que as causas e os carismas se fabriquem. Nesse caso Mendes e Sarmento poderão começar a fabricar as suas. Mas antes como depois de terem sido fabricadas, e por mim falo, ficaria sempre com Marques Mendes.

3 Comments:

Anonymous Anónimo disse...

Belzebu nos livre deste bicho.

11:24 da tarde  
Blogger Marco disse...

Quando o Morais Sarmento assumiu que tinha tido no seu passado um problema com drogas, esse foi um gesto de coragem.

Geralmente as figuras públicas gostam de ocultar as "manchas" do seu passado.

11:58 da tarde  
Blogger Fernando Martins disse...

Com excepção do inefável Manuel Maria Carrilho, penso que nuca ninguém se importou com o problema de drogas do dr. Sarmento. Na auto-denúncia não vi coragem, apenas um atómo de bom senso. Quanto a "causas" e a "carisma" penso que continuamos no grau zero.

4:01 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home