quarta-feira, dezembro 06, 2006

Basta um sorriso...

...mas José Cid merece mais.

7 Comments:

Blogger Fernando Martins disse...

Grande escolha! Um video-clip politicamente incorrecto - então como agora. Além do mais, e não sei porquê, cheira-me que a relação deu em separação.

9:52 da manhã  
Blogger Luís Aguiar Santos disse...

Chegados à parte das "favas com chouriço", das três, uma:

- Ou a coisa é metafórica e ainda escaparia (com dificuldade)...

- Ou o gajo estava a gozar e era tudo uma brincadeira (ok, pronto...);

- Ou a letra era a sério e o caso era (e é) muito mais sério (valha-me Deus!).

11:27 da manhã  
Blogger Ana Cláudia Vicente disse...

Que lindo! Uma salva de palmas para El Cid :)

Agora elucidem-me:

1.Quem era aquela senhora?

2.Há quantos anos El Cid usará capachinho?

3.Autocarros double decker em Lisboa?

João, estás um video-jockey encartado!

1:28 da tarde  
Blogger Luís Aguiar Santos disse...

Ana, é assim que se apanham as "chavalitas": então tu já não és do tempo daqueles autocarros?! Fazes-me velho...!

2:36 da tarde  
Blogger João Miguel Almeida disse...

Tão mau, tão mau qúe é bom :)
Não sei é quem era a senhora nem há quantos anos o Cid usa capachinho. Mas que havia autocarros assim em Lisboa havia...

2:44 da tarde  
Blogger Fernando Martins disse...

Não sei de onde veio o video-clip, mas está em www.cidmania.blogspot.com. Agradeço a informação à Margarida (competentíssima secretária do CIDEHUS).
A senhora que aparece, se não estou em erro, á a primeira mulher do José Cid. Acabaram separados para grande desgosto do intérprete. Levou as filhas com ela - penso que a história é esta. Não tenho aqui a minha a mãe - ou o meu colega Manuel Patrocínio - não posso confirmar as informações.
O "capachinho" e a cara esquisita do José Cid é consequência de um acidente de viação. Pelo menos era o que se dizia há uns anos.

3:25 da tarde  
Blogger Ana Cláudia Vicente disse...

Luís,
é que não me lembro mesmo. Fiquei tão intrigada que conferenciei com a senhora minha mãe (que num curto-circuito espacio-temporal perguntou: "já não há desses, é?"), e ela diz que ainda são do meu tempo. Bem, apaguei-os das minhas memórias, ou então era mesmo pequenina. Chavalita (palavra gira que já não ouvia há c'anos :).

Fernando,
obrigada pelo diz-que-disse!

8:43 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home