quarta-feira, novembro 15, 2006

Achado nas traduções

A minha experiência com a Wikipédia é positiva, que é o mesmo que dizer que, consultando-a, ainda não tinha detectado erros ou aldrabices de monta.
Contudo, ao googlar um dos decretos do Concílio Vaticano II, fui parar à definição deste, em português-brasileiro. Comparei-a com as versões inglesa e francesa (semelhantes, bastante desenvolvidas, muito ricas em hipertexto), espanhola e italiana (sucintas, diversas, porém igualmente correctas), e constatei que têm muito pouco em comum com a bizarra entrada na nossa língua. Esta resume-se a um parágrafo com factologia muito sumária, outro com informação parcial e opinião (afirma-se o facto de ter havido uma face católica de crítica ao Concílio, recusando-o com a justificação de não ter carácter dogmático; questionam-se os "rótulos" "conservador" vs. "revolucionário"), e um último com desinformação (invocam-se o Concílio e uma suposta "pouca clareza dos textos" como causadores dos problemas da igreja contemporânea, culminando com a alusão, contraditória e enganosa, ao que foi dito por Bento XVI aqui), simplesmente.

Wikipedistas lusófonos, que tão diligentemente elaboraram entradas como aquelas sobre dioceses e coisas que tais, quem quer que sejam, onde quer que estejam, não vos seria possível fazer algo acerca disto, criar uma entrada cientificamente correcta e estritamente informativa que substitua aquilo que agora lá está?
[Foto: Concílio Ecuménico Vaticano II (à saída da sessão inaugural,), 1962]

9 Comments:

Blogger superstar disse...

good picture

11:58 da tarde  
Blogger Luís Aguiar Santos disse...

Ai, o "cientificamente correcto"... Ele até pode existir, mas tal como o "preço justo", está só na posse de Deus...

11:20 da manhã  
Blogger Ana Cláudia Vicente disse...

Touchée, Luís:) Não me ocorreu expressão melhor para designar "trabalho bem feito"...

8:22 da tarde  
Blogger Metralhinha disse...

atão mininos, vam ver o Colombo e nã se dexem contajiar pela soltura que la-á

12:36 da manhã  
Anonymous Manuel Anastácio disse...

Os Wikipedistas somos todos nós. Porque não dá o seu pequeno contributo? Até uma palavrinha na discussão do artigo poderá ajudar aqueles que diligentemente escrevem artigos sobre dioceses?... Com a pouca vontade que os Lusófonos têm de contribuir para projectos onde a única paga é ouvirmos que participamos num projecto de fraca qualidade (ainda assim, é cada vez mais um recurso inevitável), e onde os leitores se atêm a coisas como o "português-brasileiro" (como se não fosse português) - facto que ainda indispõe mais gente contra o projecto em português - muito tem sido feito. Aliás, creio que a Wiki.pt é, talvez a Wikipédia com maior quantidade de trabalho desenvolvido per capita. Mas eu, por exemplo, como contribuidor regular da Wikipédia, não vou tratar desse artigo. Porquê? Vou ficar à espera que alguém informado e conhecedor do que é cientificamente correcto o faça. Não é o que fez também? Ou não reparou que existe um botão "editar" que lhe permite rectificar o que está mal? Ah, pois, os bons samaritanos não existem por aí aos pontapés, pois não?... É pena.

2:50 da manhã  
Blogger Ana Cláudia Vicente disse...

Manuel,
não fui concerteza eu que disse que a wikipédida é um recurso de má qualidade, nem me insurgi contra ele. Não entendo o tom acre do seu comentário, aqui. Isso de "os wikipedistas somos todos nós"...não é bem assim, penso. Há pessoas, em todos os países, o Manuel parece ser uma delas, que se dedicam a escrever as entradas na Wikipédia, até há blogs sobre isso (o que mais consulto é este: http://bloguil.blog.lemonde.fr/bloguil/) ; eu, que não percebo da coisa, acho que constitui algum contributo chamar a atenção para as entradas que contêm incorrecções, ou são facciosas. Pode ser pequeno, mas acho que é um contributo. E se falei em "português-brasileiro" não foi por ser menos português (mas quem é que ainda pensa assim?!), mas para chamar a atenção para a origem/autoria da entrada (explícita também pelos links deixados no pé de página...).

Cumprimentos,

3:34 da tarde  
Anonymous Manuel Anastácio disse...

Com certeza. Apenas queria dizer, também, que seria mais fácil para os wikipedistas lusófonos compreenderem o que está de mal naquela página se tivesse deixado o recado na discussão do artigo ou na esplanada. É preferível rezar a Deus que aos santos, penso eu. peço desculpas pelo tom acre do meu comentário anterior.

6:36 da tarde  
Blogger Ana Cláudia Vicente disse...

Manuel, não há que as pedir; e tem razão quando diz que eu poderia ter lá deixado um recado na discussão do artigo ou na esplanada.

Cumprimentos blogosféricos,

12:16 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Ola a todos,

Fiquei também muito espantado com tal com tal artigo. Na verdade, e concomitantemente, escrevi um texto sobre o Concílio Vaticano Segundo,
http://catholico.info/Vaticano_II
, que serviria então de defesa contra os ataques que este tão bem-vindo Concílio recebe gratuitamente.

Realmente, a adição dos comentários feitos pelo IP 201.79.137.94 são no mínimo falta de bom senso, para não falar da falta de respeito para com o princípio de imparcialidade.

Vejamos, de repente, se trabalharmos em conjunto, podemos oferecer um bom artigo sobre o Concílio Vaticano Segundo.

Um grande abraço,
de teu amigo,
mauro.

6:43 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home