sábado, junho 21, 2008

O país das maravilhas

O artigo de VPV no Público de hoje diz tudo sobre a estupidez ideológica contra o futebol (de que o artigo, também hoje, de JPP de novo exemplifica). É sempre bom ver quem está em decadência voltar a brilhar.
Já quem gosta de futebol, como eu, e por nisso nunca gostou nem de Scolari nem de Ricardo, não conseguirá deixar de se sentir mais irritado com as «análises» à derrota do que com a própria derrota. Agora já pensam que afinal Ronaldo a ponta de lança teria sido bom... E que dizer das teorias da conspiração envolvendo o Chelsea e Scolari, os jogadores alemães e a lesão de Ronaldo, os fatais árbitros... Mas o pior é a milésima tentativa de culpar Ricardo por aquilo que tem em comum com todos os guarda redes portugueses (sair mal da baliza) para esconder o óbvio: os golos são falhas dos defesas, os tais supostos melhores defesas do mundo. Tal como Ronaldo era o melhor do mundo a época inteira, a jogar no ManU, mas se tornou «vaidoso» quando veio para a selecção, também a canalhice de bater em quem já está em baixo (como com João Pinto em 2002) está de volta para ilibar quem falhou duas vezes da mesma maneira. E nunca é o keeper a marcar adversários.

É por esta tristeza de comportamento, por esta falta de nível, que não se ganha. Não se merece.

PS Justiça poética: no dia deste post, jogou-se o Holanda-Rússia, o jogo mais emotivo do Euro até agora, e isto num Euro que é o melhor de que me lembro...

Etiquetas: ,

2 Comments:

Anonymous José Freixo disse...

"o futebol são onze de cada lado e no fim ganha a Alemanha"
Gary Lineker

10:55 da tarde  
Blogger CLeone disse...

O Gary tinha uma série de frases óptimas, quase tantas como os golos. E não gostou quando quiseram fazer dele extremo em vez de ponta de lança, no Baarcelona,a té escreveu um livro...

3:28 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home