quinta-feira, abril 24, 2008

Duas discussões, de facto

O post da Ana Cláudia Vicente refere duas discussões, uma sobre a guerra colonial, outra sobre a «rua» em democracia. Deixo de parte a da guerra colonial, quero apenas notar que a Ana Cláudia, apesar da atenção que tem e que falta a outros, passou em claro as duas discussões em curso sobre a «rua».
Há uma discussão nos links no 5Dias e no blog da Atlântico que a Ana refere. Trata-se de uma discussão que eu não mantenho. A saber, discute-se por lá casos de polícia (sobre isto ver também o meu comentário na caixa do post da Ana): quem é pior, skins ou okupas? Como combater a delinquência e a ilegalidade? Etc. Não tendo eu conhecimento de assuntos de segurança interna, isto tudo só me interessa na estrita medida dos princípios: ditos de «Esquerda» ou de «Direita», aqueles que combatem a democracia ilegalmente devem ser combatidos legalmente pela democracia (pela lei, que a polícia faz, se necessário, cumprir). Saber quem é pior é irrelevante, tal como contar os mortos de nazis e sovietes não adianta nem atrasa.
A outra discussão, que eu fiz no post que a Ana refere e noutros, e que faço também num livro (que já valeu à editora ser hackada sem que ninguém se indignasse…), não é uma discussão de polícia mas sim de política. Interessa-me saber: 1) que apoios, directos e indirectos, têm os que atacam ilegalmente a democracia? 2) que significado social têm esse ataque e esses apoios? Os apoios directos encontram-se na extrema-esquerda parlamentar, sobretudo no BE, como é público, os indirectos na Imprensa (incluindo blogs) que acham tudo «normal»; o significado social é tratar-se de uma generalização de uma relação cesurista com a vida em comum, democrática, e a promoção de uma distopia supostamente socialista e na verdade totalitária. Que se infiltra nas forças democráticas, como PS e PSD. Não por acaso, visa sobretudo o PS, a única força democrática de Esquerda em Portugal.
Apesar de a acção de polícia poder ser necessária (e é bom que surja, se vier a ser precisa), o que me interessa é a discussão política. E nada disto é de agora, a displicência e as cumplicidades são infelizmente muito velhas.

Etiquetas:

3 Comments:

Anonymous Uzi disse...

"Site de Barack Obama é atacado e leva à página de Hillary"
O responsável por este hack foi o mesmo que hackou a editora responsável pelo livro do tipo deste post.
Pensa-se numa acção concertada a nivel global e coordenada pelo BE em Portugal para silenciar as vozes do mundo livre.

3:04 da tarde  
Blogger CLeone disse...

nao sei de nada, reconduções indevidas em webpages nao tem nada a ver com o que estava na pagina da Tinta da China e não sei o que o BE está aqui a fazer. Mais uma rajada anónima, com a costumeira táctica de atirar às pernas. Mas não me reduzes ao teu tamanho nem assim, «uzi»

3:59 da tarde  
Anonymous Voice_Of_The_Opressed disse...

Não conheço a vida interna do bloco mas sem duvida que tanto o ps como o bloco sao mais democraticos do que o PCP que se mantem, talvez a custa do elexir da juventude marxista que é o ser um "narrow minded view party".
existirá mais democracia interna no Ps do que no bloco devido quer á historia de ambos, quer à dimensão do PS, mas tambem vejo um PS descaracterizado e embora concorde e aplauda muitas das politicas e reformas deste governo, outras tanto condeno e essas sao graves o suficiente para abafarem algumas boas.

7:12 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home