sexta-feira, julho 06, 2007

Em 2010, comemorar o pioneirismo do 5 de Outubro!


A páginas 172 do seu livro THE DICTATORS (Penguin, 2005), o historiador Richard Overy diz o seguinte:

«The “one-party” system was a novelty in inter-war Europe. No European state before 1914 had been dominated and led by a single political party.»

Ora, sabemos que a história portuguesa, mercê da natureza periférica do nosso país, é pouco tida em conta quando as generalizações da historiografia pretendem abarcar todo o "velho continente". É isso que explica que Overy não reconheça à I República em Portugal a coroa de glória que lhe cabe de ter inaugurado na Europa a experiência do governo de partido único. De facto, este regime pioneiro, depois de se assenhorear do poder por meios violentos (1910), liquidou (em sentido figurado, calma...!) toda a classe política anterior, exerceu um período de ditadura só com membros do partido republicano e fez eleger uma assembleia constituinte só com republicanos (1911), garantindo um monopólio funcional do sistema político nos anos seguintes, apesar da divisão em três e mais forças políticas do mesmo partido republicano (o que faz alguns achar, incompreensivelmente, que a vida política e parlamentar da I República foi um caso de pluralismo político). Look again...

Na verdade, o Estado Novo (i.e., a II República) não precisava de inspirar-se no fascismo para chegar à solução do monopólio da União Nacional. O paradigma, pioneiro na Europa, já existia em Portugal desde 1910. O que os republicanos da II República fizeram foi melhorá-lo um pouco: já que era para haver governo de partido único, então que se poupasse o País a ser governado pela guerra civil interna do partido republicano a que nos habituámos a chamar "história política da I República".

Para os intervenientes nos festejos públicos (já em preparação) do centenário dessa data inesquecível que foi o 5 de Outubro de 1910, aqui fica a lembrança e a sugestão: não esquecer de vincar bem o carácter pioneiro da I República Portuguesa. Não esquecer que em 5 de Outubro de 1910, Portugal deu à Europa a fresca e progressiva inovação política do SISTEMA DE PARTIDO ÚNICO!

3 Comments:

Anonymous Anónimo disse...

Que distorção histórica!
Só quem não conheceu o ódio à democracia do Estado Novo, que argumentava com diversidade de partidos políticos da República para "demonstrar" que a existência de vários partidos políticos era "prejudicial" a uma boa governação como seria a do ditador e do partido único.

7:23 da tarde  
Blogger Luís Aguiar Santos disse...

E o caro anónimo sabe, por acaso, o que os republicanos antes de 1910 diziam da vida parlamentar pluripartidária da monarquia constitucional? Além disso, refiro-me a factos indesmentíveis passados com a ditadura republicana de 1910-1911 e a eleição da assembleia de 1911. E ainda ao facto de os homens do 28 de Maio serem todos saídos da cultura política republicana antecedente.

10:45 da manhã  
Blogger João Pedro disse...

"a existência de vários partidos políticos era "prejudicial" a uma boa governação como seria a do ditador e do partido único."

Pois parece que os membros do Partido "democrático" achavam um pouco o mesmo, daí serem sempre eles a constitír governo (excepto com Pimenta de Castro, e mais intermitentemente a partir de 1917).

6:29 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home