sexta-feira, novembro 28, 2008

A crise nas pequenas coisas

Os problemas graves dos tempos difíceis são isso mesmo, graves, pelo que demasiado complexos ou perturbadores para os termos presentes a toda a hora. Para nos moerem a esse ritmo existem as pequenas coisas, certo? Dentre estas, no actual tempo de vacas magras, destacaria o irritante fenómeno de abastardamento dos produtos que fazem parte da nossa rotina. Que a verdade é que nos habituamos a este lote de café, àquele amaciador de roupa, a certos guardanapos, ao tal papel higiénico, ao detergente da loiça não sei quê. Não a outros. Àqueles. E o preço não sobe, até baixa, mas a marca (ó, a força da marca, a fidelização, blá, blá) em que confiávamos insiste em, bem, avacalhar, em pôr o mesmo rótulo num produto que não sabe ao mesmo, não cheira ao mesmo, não tem o mesmo toque, e num acto de prestidigitação até aparece em promoção. Como se fôssemos parvos. Podemos sempre mudar, claro. E registar quem assobiar para o ar, à sombra do feito.

2 Comments:

Anonymous Anónimo disse...

Tem toda a razão, mas isso não é fenómeno devido à crise nem que aconteça só durante a crise.

É um fenómeno repetitivo, o abastardamento dos produtos e marcas, que acontece a toda a hora.

Um caso que chateou particularmente a minha mulher foi o creme Halibut. Dantes, era um creme (pomada) fenomenal, que curava um rabo de bebé assado num ápice. Depois abastardaram-no. Agora é um creme vulgaríssimo, sem qualquer efeito digno de nota.

Já agora, a cerveja SuperBock dantes tinha 5,9 graus de álcool. Agora já só tem 5,6. Subtilmente, sem avisarem ninguém, modificaram a composição da cerveja.

Luís Lavoura

4:20 da tarde  
Blogger Ana Cláudia Vicente disse...

Luís,

eu ainda não tinha tido a percepção de um movimento tão generalizado de alteração da qualidade dos produtos (os detergentes 'baptizados' e o papel higiénico que passa de folha quádrupla a única são para mim o zénite deste movimento) como de há uns sete, oito meses para cá. Na verdade, dada a minha idade, só me lembro (e mal) de um momento de tão evidente crise nas pequenas coisas, lá por 83, 84(seria?; mas o contexto era completamente diferente, não havia mercado comum, a dinâmica económica obedecia a outras regras, a abundância de marcas e produção e venda de bens era completamente diferente.

saudações,
acv

11:05 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home