segunda-feira, abril 23, 2007

Bayrou oú?


Final feliz. O radical Le Pen abaixado e, em seu lugar, o centro alevantado com Bayrou. O que é tanto mais difícil de digerir por Le Pen, quanto um francês filho de um imigrante húngaro e com antepassados judeus - Sarkozy - surge, ao mesmo tempo, como a grande figura da direita. Mas a principal questão é saber se, ao contrário de Le Pen ou, entre nós, de Manuel Alegre, Bayrou conseguirá transformar este apoio em algo mais sólido: num crescimento do seu partido. Se fosse assim, mas os precedentes não ajudam, ele teria uma influência decisiva em qualquer futuro governo, ganhasse Sarkozy ou Ségolène. Isso poderia ser bom, daria uma boa razão a qualquer dos dois para moderar os excessos eleitoralistas, sem abandonar algumas ideias reformistas. Seria certamente bom para algo essencial: uma aposta forte em avançar na UE.

E, insisto, quem acha que nada disto interessa a Portugal, ainda não percebeu como funciona a Eurolândia, como os interesses nacionais portugueses estão hoje ligados à evolução do conjunto da Europa, e sobretudo dos seus países mais importantes e que nos são mais próximos.

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Confúcio Costa disse...

:)

12:28 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Bayrou......"nationaliste" basque.......?

6:30 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home