quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Poder É Querer

Fui ver O Último Rei da Escócia/The Last King of Scotland, (semi)ficcão decorrida nos anos de Idi Amin Dada à proa do Uganda. Felizmente, a qualidade da obra - romance de Giles Foden transposto para cinema por Kevin MacDonald - poupa-nos a estereótipos, tanto relativos ao recém-ex-colonizado africano, quanto ao recém-ex-colonizador europeu. Ao centro, a braços com o poder, um kakwa e um escocês aproximados por coincidências, empatia e algum passado em comum. No caso de Amin, a força do absoluto mando; no caso de Garrigan, o privilégio da influência. Em Amin lemos admiração, manipulação e ressentimento; em Garrigan, fascínio, desconhecimento e má-consciência. E não são estas, paradoxalmente, características recorrentes nos estereótipos acima apontados? Interpelativo e provocatório. Gostei bastante.

[segmento do cartaz cinematográfico]

2 Comments:

Anonymous Anónimo disse...

Olha, um comentário ao «filme que se segue» da minha lista. Forest Whitaker é dos meus actores preferidos.

João Miguel Almeida (esta caixa de comentários continua a dar-me problemas)

7:46 da tarde  
Blogger Ana Cláudia Vicente disse...

E meu também, desde o "Bird"!

Honestamente, nada que se compare aos teus cine-posts, caríssimo :) Depois diz-me o que achaste do filme. Gostei muito da fotografia, mas sobretudo da montagem; do Whitaker já esperava uma boa interpretação, mas o McAvoy surpreendeu-me positivamente, aguentou-se mesmo muito bem à contracena.

11:32 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home