segunda-feira, março 08, 2010

Divulgar, não queimar

O ano passado, um abaixo-assinado à Assembleia e uma carta aberta ao Primeiro Ministro foram lançados pelo Movimento Internacional Lusófono. O objecto, a destruição de livros por parte de editoras, mesmo do Estado (INCM). Agora, que a Leya caiu nas notícias por causa dessa prática, é bom ver que quem estava vigilante o ano passado assim continua.
As eleições passaram, talvez o jornalismo queira seguir o que se passa nestes casos. Na Sexta, Ruben de Carvalho, na SIC Notícias, falava do estado a que chegou a revisão do Diário da República...

Etiquetas:

2 Comments:

Anonymous Anónimo disse...

Destruir livros é quase tão imoral como as toneladas de comida deitadas fora todos os dias pelas grandes superfícies. É o capitalismo, que no seu esplendor, prefere destruir do que oferecer a quem precisa...

mindjacking.wordpress.com

12:22 da manhã  
OpenID movv.org disse...

Obrigado, Cleone...
Certamente que sim... não deixaremos cair esta questão!

Rui Martins

1:22 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home