quarta-feira, fevereiro 24, 2010

Música para o povo

A real hot chip. Não é «life changing», mas vale bem a escuta. Às vezes lembra deee-lite , como neste one life stand. Outra, como alley cats, lembra o melhor de Everything but the girl. Mas, música a música, há muita pop aqui: Erasure, communards, bronsky beat, electronic... Não é New Order nem Pet Shop Boys, mas se a fasquia fosse essa poucos valeriam a pena. Estes valem bem. Para quem tem memória para se divertir com ela, não para apoucar o que se vai fazendo - de novo.

Etiquetas:

2 Comments:

Anonymous Anónimo disse...

Este comentário provavelmente não tem a ver com o teor do artigo, é um panfleto de um cidadão indignado.

O que é preciso é compaixão Cristã. Vai aqui um exemplo da mesma compaixão:

« ...Esta proposta, sublinhou, é "perfeitamente possível" de ser executada "cortando 50,5 milhões de euros numa prestação onde o abuso é uma vergonha, chamado rendimento mínimo garantido". » Paulo Portas

O partido dos «com a boca cheia de dentes» que fazem terapia quando lhe morre o gato, e fazem peregrinações a Fátima equipados de roupa desportiva "griffé" e são católicos porque ser católico é tradição e ser tradicional é fino e aristocratico , vivem à séculos de rendas e de não participar no desenvolvimento (fugindo aos impostos em larga escala) têm o desplante de fazer bandeira dos abusos das classes populares. Estes cristãos, os tais do "ao outro como a si mesmo", (tem-se visto ao longo dos séculos), quando as classes populares já embrutecidas pela pobreza, enraivecidos pela miséria fizerem correr sangue clamarão pela dureza policial. O que esta gente propõe é a "sul-americanização" da vida.

P.S. Não nego que haja abusos mas serão mais graves que os outros abusos que TODOS conhecemos? E havendo abusos serão na ordem de 50,5 milhões?

3:10 da tarde  
Blogger Cláudia [ACV] disse...

Não os conhecia, Carlos, valeu a sugestão :)

7:16 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home