segunda-feira, novembro 06, 2006

Antologia

Fonte: Wikimedia/Wikipedia.
Parece-me de antologia, para usar linguagem futebolística, a curta entrevista a José Medeiros Ferreira publicada hoje no Diário de Notícias. Na boa tradição portuguesa, apesar de tudo pouco cultivada, de dizer muito e bem em poucas palavras, José Medeiros Ferreira antecipa um futuro que adivinha doloroso para o PS, para o Governo e para Sócrates. Apreciei especialmente o parágrafo em que compara o culto da personalidade ao culto da imagem muito apreciada por José Sócrates e seu epígonos (não confundir com pigmeus). Visto isto, é lê-la aqui, saboreando-a.
Sobre a sanha reformista de Sócrates e do seu Governo, veja-se um interessante comentário à dita entrevista no “Portugal dos Pequeninos”.

7 Comments:

Anonymous Anónimo disse...

Mas então porque é que o homem não vai ao congresso dizer das suas?

4:00 da tarde  
Blogger Fernando Martins disse...

É uma boa pergunta à qual não sei responder, embora se possa presumir que como não foi eleito delegado não poderá estar presente e, menos ainda, falar.

6:50 da tarde  
Blogger bruno cardoso reis disse...

E eu a pensar que o Sócrates até era demasiado discreto e silencioso! Ou que a maioria do PS estava mesmo com ele! Mas agora a sério, gostei da piada. E os gulags aonde é que são? (Talvez em São Bento?)

9:30 da tarde  
Blogger Fernando Martins disse...

Bruno!? Não desconverses! E já agora, não querendo ofender-te, estás hoje para o Sócrates como este esteve para o Guterres. Já toda a gente reconhecia, a começar no PS, que Guterres tinha sido uma desgraça, e Sócrates andava por aí a dizer que tinha o melhor primeiro-ministro da democracia portuguesa. E já agora, atenção às previsões da Comissão Europeia.

10:51 da tarde  
Anonymous Medeiros disse...

Na boa tradição portuguesa..., ou com um sentido clássico da fórmula?.Um abraço pela leitura culta.

1:05 da manhã  
Blogger Fernando Martins disse...

Para já na "boa tradição portuguesa". A prazo "no sentido clássico".

10:11 da manhã  
Blogger bruno cardoso reis disse...

Acho que na boa tradição portuguesa estaria realmente na altura de mudar de primeiro-ministro, de governo ou quiçá até (da mais clássica) mudança de regime.

Os problemas continuariam e até pioravam, mas ao menos a malta distraia.

12:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home